sábado, 11 de setembro de 1976

Testamento Vivo

Aos meus avós, principalmente Dona Elza, Seu Oswaldo e Dona Helena, um obrigado por muitas lições de vida em histórias, contos ou num simples carinho e colo.

As minhas tias e tios (Lais, Marinez, Zé Paulo e Zé Carlos) agradeço o Amor e o carinho dedicados a mim, de pequeno a adulto, que sempre me deram conforto e leveza (mesmo quando a firma era pesada), especialmente a Tia Maria que nunca deixou de me dar moral e me chamar de "lindinho".

A todas as Amigas e todos os Amigos e pessoas que fizeram mais ou menos parte da minha vida, sem tirar nem por, deixo um beijo e o pedido de ajudarem os que ficam a não sofrerem tanto.

As minhas primas e aos primos, agradeço o carinho de sempre, o Amor e a segurança não só de braços, ouvidos e palavras que acalentaram meu coração, como bons puxões de orelha e um "prestatenção muleque".

Ao meu sempre amigo Eriko deixo a gratidão de ouvir sabias palavras mesmo as que foram diretas e feitas para me acordar, obrigado por não desistir do louco e ensinar o aprendiz.

Ao meu compadre Fino, minha comadre Cris e toda sua familia, deixo um sonho, além da certeza de saber que nosso potencial sempre será milhões de vezes maior do que o que conseguimos mostrar, um obrigado pelo abraço forte, pelo ombro amigo que segurou meu choro, o sorriso e a satisfação de me deixar compartilhar de sua linda família, abrindo a mansão e o coração.

Ao meu irmão Thiago, Mariana e Vinicius, deixo meus discos e livros. Deixo a birra, deixo a pentelhação e o agradecimento de ter me propiciado uma infância maravilhosa ao seu lado, deixo as lembranças de viagens e minhas histórias que ele poderá contar sempre. Agradeço a confiança dele e da Mariana de me deixar apadrinhar meu sobrinho Vinicius, uma criança linda, calma, inteligente e carinhosa.

A minha filha Catarina, deixo a gratidão de me deixar ser seu Pai, mesmo com a chatisse e pentelhação que eu tinha, minha forma estranha de mostrar carinho, mas conseguir criar Amor.

A minha mulher Juliana, deixo a certeza de ter vivido ótimos momentos, de ter encontrado a melhor pessoa na hora exata, de me entregar com tudo, de peito aberto, sem escudo e sem espada e de me ter dado a liberdade necessária com a segurança precisa de seu Amor.

Aos meus pais Lia e Claudio, deixo a gratidão de todo o Amor dado de graça, do carinho recebido,  de toda a dedicação em minha criação, educação, formação e do eterno suporte que só vocês poderiam dar a um filho, que sorte eu tive.

Aos meus amados filhos Beatriz e Pedro, deixo o orgulho de tê-los feito, de viver ao seu lado em todos os momentos possíveis, de vê-los felizes e a certeza da grandeza que os espera. Deixo uma pitada de saudade, uma palhaçada qualquer que tire um sorriso de vocês, deixo ainda o reconhecimento do que é ter um Amor incondicional, pois só com vocês pude de fato aprender o que era isso. Deixo também uma tarefa, mais uma, buscar a felicidade máxima, pois mesmo utópica ela deve ser almejada, não parar nunca de encontrá-la e principlamente aproveitar a viagem, não se preocupar com a chegada, mas com o caminho ele que dirá que a chegada valeu a pena.

A todos, não lamentem minha partida, celebrem minha estada.
Festejem quem fui, pois assim sempre serei.
Beijos e Abraços Mil, doces, coloridos, perfumados e estalados!

Dan

(Última atualização 28/12/2016)