quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Noite Um - Em Sol e Lá

Certa hora
sem demora
essa moça
vai-se embora
não é agora
e a loucura
dessa noite
se anuncia
hora quente
hora fria
e o abraço
que arrepia
o cansaço
principia
a saudade
desse dia
da vontade
desse beijo
desse cheiro
da loucura
da beleza
escultura
corpo em deusa
de uma Athena
tão serena
minha pequena
sua força
esperança
e a ternura
de criança
que bons ventos
tragam chuva
que inunda
o pensamento
mais cinzento
e o torna
transparente
passa rente
ao coração
que alivia
a tensão
não avisa
quando chegar
pra encontrar
corpos jogados
estatelados
entrelaçados
enamorados
os dois folgados
na sala de estar. 
Ufa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!