segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Pa, pa, pá... Pa, pa, pá...

Amar
o mar
e a maré.

Viver
e ver
só você.

Testo isto
no texto
e tento te ter.

Decoro
o decoro
pra te corroer

Demoro
só corro
a me socorrer.

Dou murro
no muro
e a mão a moer.

Não moro
no morro
mas lá irei morrer.

Em seu céu
me assanho
e sou o seu ser.

Pa,
pah,
pá...
Pa,
pah,
pá...

O cinto
eu sinto,
sem me sentar.

E o vento,
nas velas,
para velejar.

O sopro
da sombra
da sobra do bar.

Estico
e disto
do seu ser tocar.

E o sol,
solitário,
só a nos saudar.

Telhado
sem telha,
centelha a queimar

A chama,
reclama,
um xamã a chamar

Mas sei,
sem mais
te adicionar.

A brisa do mar.
na brasa
de Amar.

Pa,
pah,
pá...
Pa,
pah,
pá...

DaniBron (28/02/2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!