segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Despedida do Rufus, um Ruivão Brincalhão

Pedrão e Rufus - Que amizade!!!
Rufus, ele foi trazido em 1998. Tinha prometido, depois do Dartagnã, Thor, Genghis Khan, Zulu e Thor (não necessariamente nessa ordem e sim com dois Thors) que eu nunca mais me apegaria em um bichinho. Que certamente viverá menos do que nós, que certamente nos fará sofrer na sua partida, que certamente nos deixará saudades.

Passamos bons momentos, ele me ajudou a ter desculpa pra sair de casa, me fez correr na Rua, mudou a arquitetura da casa por causa de seus saltos e fez muita gente feliz.

"Doce, agitado e ruivo.
Charmoso até o fim,
Bagunceiro e brincalhão.
Esse era o nosso Rufão"

Não cuidei tanto dele como deveria, não brinquei tanto com ele quanto gostaria, muitas vezes nem dava bola e gitei diversas vezes para ele ficar quieto. Para não acordar meus bebês (que hoje são grandes), para nao acordar meu pai ou minha mãe, ou mesmo para nos deixar comer em paz.

"Caçador Nato,
matava de pomba a rato.
Latia pra lagartixa,
Brigava com o gato"

Mas se tinha churrasco ele ficava preso. Para não atrapalhar os convidados, assim como em festas de aniversário, páscoa ou natal. Na verdade sempre que tinha algo no quintal.

Quando ele foi pro Sitio foi sofrido, pra mim, definitivamente pro Pedro seu amigão e mais ainda pro velho Barbosa, seu verdadeiro pai (dono ou o que seja).

Mas ficamos de ir mês a mês... Promessas de ir é errar...

Sim fomos quando deu e nos últimos meses devo ter ido umas 3 ou 4 vezes. Mas via-se que ele não era mais o mesmo. Que não brincava, que pouco latia e nada enxergava. Tinha fugido uma vez. E não fugiu de novo pois perdeu a vontade eu acho.

Aquele cantinho não era seu lugar, ele não aproveitava mais, não queria mais. Devia estar dolorido, cansado, já um Sr, Idoso com seus 90 e tantos anos se convertido a idade de cão para cachorro.

Rufus, meu cachorrão, esteja em paz, como disse pro Pedro, não sei se com Zeus, se no Céu, se reencarnado. Esteja onde estiver apenas obrigado por me alegrar, por alegrar meu pai e por alegrar meus filhos.

Quem disse que eu não gostaria de cachorro de novo...

E desde já digo NÃO. No AP NEM FU...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!