quinta-feira, 24 de março de 2011

Como as coisas são...

Meus filhos podem ler,
coisas estúpidas que lhes dão.
Mas não podem saber.
Como o pai anda do coração.

Não por falta de querer,
mas por simples precaução.
Para evitar o entender.
Ou por mera criação.

Parece que escrevo injúrias,
mentiras ou mesmo inverdades,
que escrevo livros de luxúrias,
Não espantarei tenra idade.

Mas a desculpa estapafúrdia,
que a pergunta não vai mais calar.
Se proteção pedimos pras crias.
Porque apenas eu que devo zelar?


Daniel Bronzeri Barbosa (24/03/2011)

Tem dias que a noite é clara...

Um comentário:

Pode meter a boca!