sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Felicidade!!!

Saber que posso voltar a Amar.
Receber um pedido de colo dos meus filhos.
Entender a eterna preocupação da minha mãe.
Comer uma comida feita do meu pai para mim.
Receber pedidos de comidas especiais, por quem diz gostar.
Receber um chamado de oi e ai como está?
Dar um beijo nos meus pequenos.
Ver o sorriso de satisfação na cara do meu filho quando ele ganha no video-game.
Reclamar que ele fica narrando o jogo.
Perceber como minha pequena cresce, se estabana nas coisas e perde a noção do espaço.
Sentir um abraço dos amigos de verdade.
Aceitar que a infância foi na infância, a adolescência foi na adolescência e que foi bom.
Correr ao primeiro e-mail que chega.
Sorrir ao receber e-mails do PagSeguro.
Se alegrar ao fazer parte de uma turma de verdade.
Estar na presença dos amigos, bebendo ou pegando metrô.
Ter o suporte de uma família extremamente Amorosa e Carinhosa.
Ser desafiado a superar meus limites.
Superá-los e ver que posso ainda mais.
Ver uma criança brincando na rua.
Ouvir o som do páteo do colégio na hora do recreio.
Sentir o vento da madrugada e ouvir os barulhos das sombras da noite.
Ver a Lua. Sentir o Sol. Pegar a Chuva.
Inventar histórias em cada rosto no trânsito.
Ser engraçado quando preciso e palhaço em horas impróprias.
Ouvir barulho de tênis em quadra de taco, bola de volei batendo no chão, um tackle.
Lembrar de quem fez parte da minha vida, me formou e faz parte do que sou.
Assistir meu time jogar.
Ver esporte e entender.
Dormir no fim da tarde.
Acordar com a janela aberta.
Tomar banho no escuro.
Receber surpresa sem susto.
Comer e beber.
Sentir tesão sempre e mais do que isso não ouvir: Não!
Dizer ou ouvir cheguei pai com naturalidade.

Reviver o nascimento.
Acreditar em algos.
Esperar o melhor.
E tantas outras coisas, pequenas ou grandes que só esse mundo, só essa vida pode nos proporcionar.
Nessas horas sou mais feliz.
Nessas horas sou eu.




quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Sobre o Mundo Virtual!


Meu timeline no Facebook, Twitter, Linkedin, Instagram e todo o resto anda recheado de frases de efeito, de pessoas felizes, algumas saudosistas e outras tantas protestando por causas "nobres".

Mas a hipocrisia é tamanha que pessoas sem caráter vem falar de verdade, de hombridade ou de justiça social.

Pessoas que nunca fizeram um protesto sequer na rua, que não sabe o que um politico faz ou fez, que só vai pra realidade mesmo quando vota, mesmo assim muito displicente, não assume seus atos e diz que votou em branco para não transparecer o reacionário que de fato é.

Vejo gente com saudades do tempo da escola, quando não eram nada, não tinham opinião de nada, eram caguetas, mentirosos, se escondiam, sofriam bullyng ou o faziam. Pessoinha que mamãe ia buscar na escola mascesperava na esquina, que não podia sair de noite e hoje se vestem ou se dizem "zuadores" de sua época, os "malandrões", pessoal que preferia se fazer de morto, mss se cagavam pra contestar a diretoria, professores e afins, que as pessoas não lembram de uma história BOA sequer, mas que dizem saber de tudo o que rolava e a fatídica frase "Como era bom...".

E ainda mais, tem gente que se diz sempre estar nos jogos de seu time, que ia e vinha pra cima e pra baixo de ônibus, que ia em passeata protestar contra o aumento do transporte público ou contra o governo corrupto. Balela, em épocas de cachoeira, pura cascata. Nunca fez e hoje faz protesto pelo facebook, twitter e que tais, mas nunca entoou nada, ainda não sabem distinguir átomo de ínstimo.

Não sabem o que é ter medo de repressão, nem digo da polícia pois ela só faz seu papel, mas da repressão mesmo. A maioria nem estuda ou pesquisa, aliás hoje em dia ninguém pesquisa, só googla e se não achou, não existe, não sabem onde é Belo Monte e qual os reais problemas da pretensa usina, não sabem o que de fato foi o mensalão, no que implica e como pode ser evitado a recorrencia, não apenas com voto, não sabem da bandalheira que são os editais públicos no geral, suas cartas marcadas e conchavos. Repetem o que leêm no jornal, o que enxergam pela lupa microscópicamente orbital do prisma da veja, ouvem o Fantástico, os telejornais e aceitam tudo como uma tradução explícita da verdade.

O mundo está virtual, com pessoas abdusidas pela mídia massacrante, que adoram mulheres tontas, apaixonadas, que esquecem de si mesmas e de suas forças em livros machistas de mercado, não existe mais uma princesa Léia, rainhas Amidálas, que enfrentam os poderosos e dão a vida por uma causa, mesmo que fictícia.

Pessoas com saudade da ditadura, sabe o que foi? Querem que volte a censura, os embargos econômicos, a prtsrguição de opiniões contrárias? Querem um pais de iguais? Seletivo? Que esconde seus problemas?

Lembrem-se, esquecer não é perdoar, fugir não é resolver!

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Inclusão?!?

Sou cadeirante Sim!
Sou de carne, osso, aço e pneu.
Estou aqui pois minha mãe quis.
Tenho a forma que o universo me deu.
Somos iguais, mente, coração e alma.
Uma fusão que conspira a favor.
Pensamento positivo e calma.
De quem aspira e inspira o Amor.
Vivendo juntos lado a lado.
O tetra..., o para..., o pobre e o negão.
Muito mais diferenças.
Que ainda pedem muita superação.
Uma sociedade insegura e que segrega.
Que desabona a limitação.
Que na imagem se apega.
E esquece o poder da motivação.
Somos muitos, temos força.
E a fé num dia bom.
Onde possamos fazer mais festa.
E comemorar a inclusão.
Com ruas adaptadas.
E boa sinalização.
Respeito a nossas vagas.
Sem onerar a população.
Pois não adianta incluir o deficiente.
E esquecer o paciente do SUS.
Manter escolas indecentes.
E nas ruas sem segurança e luz.
Isso é incluir?


Amigo

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Assim

existem varias formas de olhar pro passado alguns jeitos certos outros bem errado ora se eh pra olhar pro passado que seja pelo aprendizado pelos exemplos de erros e acertos ou mesmo para se divertir da desgraca a suposta desgraca da epoca mas nao precisamos vivenciar tudo outra vez deixe aquela mera la foda se as pessoas que se fazem de anjo bom ou anjo mal foda se toda forma de te fazer pior de te colocar pra baixo a forma de te atacar eh breve duro eh conseguir manter a feh acreditar no futuro dar valor o devido valor que voce tem que voce precisa para se manter na pista decolar voo entrar no trem se manter no eixo e nao ficar a deriva como um golfinho morto boiar e respirar ar puro precisamos crescer para todos os lados vida social se vive nao se curte e compartilha do sofa se encontra se olha se pega se tem do lado agradeco meus verdadeiros amigos que me ouvem que lembram de mim que participam presencialmente ou em intencao que compartilha as felicidades as agonias sempre com disposicao amigos meus amigos minha familia sim meus amigos sao minha familia e vice versa por isso lembro de todos e nao faco listas pois nao seria justo com todos, mas quem eh meu sabe sente como disse mesmo longe distante a mais de anos esta presente faz parte dos sonhos faz parte das lembrancas seja de dez anos trinta minutos outras vidas ou quica outros lugares planetas universos e subversos pessoas que riram que choraram que brincaram trabalharam ou qualquer interacao se foi especial faz parte de mim me molda e moldou para eu chegar ateu aqui um crente da amizade um cara que voce pode contar que nao fica soh de papo que faz sim que tem proposito de vida muito maior do que viver muito maior do que reproduzir plantar escrever com o proposito de fazer o bem de ajudar de dar apoio a quem realmente precisa de resolver problemas reais nao problemas possiveis corriqueiros e burocraticos nao futilidades de quem diz ter falta de tempo problemas reais de meus amigos irmaos do mundo assim sou eu sem ponto sem acento com erros acertos mas acima de tudo tentativas reais pois o mundo eh real palpavel bonito e cheio de vida

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Parados e acelerados

Mesmo parados estamos em movimento.
Na rotação constante da antiga pangea.
No barulho pulsante da platéia.
No rugir quente do instrumento.

Sou a mulher de um desatento.
A amante de um ser disléxico.
Preguiçoso e nada atlético.
Que me dá um sexo opulento.

E perdida me vejo ao avesso.
Deitados em concavo e convexo
Num misturar de consentimentos.
Tragada em tua boca, frente e verso.
Com vistas ao longe de teu membro.
É nele que peço e não esqueço


Leinad Johnes
9.11.2012

Coleção uma por dia
#2 1PPD 2012

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Riminhas

Só ri de minhas rimas.
Riminhas pra dormir.
Se aninha nessas linhas.
Descansa do porvir.

Ri mas não se anima.
Das rimas que produzi.
Em tiras coloridas.
Tentei lhe seduzir.

Se chegam assim seguidas.
Desenho o seu sorrir.
As vezes repetidas.
As vezes por ai.

As acho assim sozinhas.
E junto no sentir.
Combinam refletidas.
Em nosso existir.

Pra namorada e primas.


Riminhas pra ouvir.
Se ri de minhas rimas

Eu não estou nem ai!



Daniel Bronzeri Barbosa
8.11.2012

Coleção uma por dia
#1 1PPD 2012

Se for pra Amar!!! Escolha a mulher certa no mundo!

Te Amar e viver com você.
É continuar a sonhar.
Querer completar.
Fazer.

Você é mais que inspiração.
É exemplo de virtude.
De fé, garra e paixão.
Plenitude.

Apaixona cada vez que te vejo.
Aos sentir seus olhos brilhando
Cada sorriso, cada beijo.
Encantando.

Cresce e me leva junto.
Não se esconde, nem desiste.
A mulher certa no mundo.
Existe!

E é você, Jú


Daniel Bronzeri Barbosa
26.10.2012

Sentidos e Direções

Se tem sentido o que pensamos.
E sabemos a direção que andamos.
Somos eleitos de nós, amos.
Somos perfeitos desenganos.
Quando envergonhados, coramos.
Quando excitados, também.
Apaixonados ao vento assobiamos.
Andando em trilhos perdidos de trem.
Na direção de nossas vidas.
Peças de teatro falidas.
Com apenas um espectador.
Mas com grandes atos de Amor.


Daniel Bronzeri Barbosa
(Alguma coisa de 2012)

Sonhos Coletivos

Em todo grupo um sonho.
E em todo sonho um voar.
Voando alto me encontro.
Me encontro de vez a cantar.

Se todos acham um canto.
Eu canto pra não calar.
E calo mudo e  um pranto.
Choro alegria de estar.

O pensamento é utópico.
Utopia é loucura no olhar.
Se olho apressado me pico.
Picada de abelha a zoar...

No consciente coletivo.
Coleto seu pólen grená.
Vermelho é a cor do menino.
Que jorra meu sangue no ar.

Como se ouvesse pedido.
Perdido a luz do luar.
Ilumina amantes bandidos.
Livres pra poderem Amar.

Agindo apenas no instinto.
Insisto ao seu lado deitar.
E pouso ouvindo o gemido.
Das ondas que batem no mar.

Em todo grupo um sonho.
Eu canto pra não mais calar.
Se olho apressado me pico.
Jorrando meu sangue no ar.

Como se ouvesse pedido.
Insisto ao seu lado deitar.
Voando alto me encontro.
Com as nuvens que estão a plainar...


Daniel Bronzeri Barbosa