quarta-feira, 11 de março de 2015

Um soco com o coração aberto!

O coração é do tamanho do seu punho fechado.
Talvez por isso o ódio faça contraponto ao Amor.
Não quero, nunca mais, me sentir exilado.
Mas não posso evitar que meu peito sinta dor.
Nem sempre o bem fica ao seu lado.
Nem sempre o mal traz angústia ou pavor.
Contudo, sabemos que ser mal amado.
Transforma paz e ternura em terror.
Onde estava, me vi assombrado.
Sozinho, num prado, sem cheiro e sem cor.
Talvez esse triste e pesado legado.
Seja viver, com o amargo dissabor.
Mas saber o que um dia me deixou revoltado.
Me preparou pra receber novo Amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!