quarta-feira, 27 de maio de 2015

Sonhos de inverno...

Estou sentado a horas.
Uma vista linda do vale, o céu azul, sol e frio. O vento é gelado, mas não corta nem arde. Estou agasalhado, em minha cadeira de balanço, sob o piso de madeira, na varanda da cada.
Também não falo a horas. Não leio nada, não tem música, nem canto dos animais.
O único barulho é da folhagem diante de um ventinho discreto.
Fico ali, não tem ninguém, não como, nem bebo. Apenas olho e torço pra isso não acabar.
Penso a tabuada do 7, faço uma ou duas contas, faço listas em pensamento e vez por outra me perco em uma delas.
Lembro de momentos, esqueço alguns fatos. Não durmo, nem descanso, mas nada faço.
Fico ali, tentando entender como poderia me deixar ali sozinho e ajudar a compreender o sentido.
Porque viemos, de onde e quando.
Me libertem já não consigo fugir sozinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!