quinta-feira, 18 de junho de 2015

Encontros e despedidas na Estação Central

No meio de uma multidão.
Um sussurro e eu te acho.
Em alguns metros só te vejo.
Em pouco tempo, breve espaço.

Todos somem então.
E em seu braço me desfaço.
Um simples cheiro e eu te desejo
Num longo beijo e eu me calo.

Vira a noite, passa o dia.
Em constante descompasso.
Um lindo som, logo anuncia.
Nossa viagem pro espaço.

E quando a hora paralisa.
Criando um corte, forte lapso.
Chorando o céu, se esvazia.
Queimando o sol no mormaço.

Nosso trem já vai partir.
Decolar para a imensidão.
Nesse porto há de seguir.
O caminho do coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!