segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Preciso soltar o poema que endurece em mim!

Respondendo a provocação.
Sem dizer sim ou não!
Derreter a emoção.
Pra deixar o corpo são!

Tentarei ser direto e preciso.
Mas será que eu preciso?
Derrepente tirar o ciso!
Ser menos indeciso!
Talvez mais conciso!
Largar o egoísmo.
Voltar a ser Narciso?
Criar mais juízo!
Se for, eu aviso.

Não deixo de escrever.
Mas as vezes de publicar.
Tem gente que não precisa ler.
Tudo que tenho pra pensar.

Por isso nem sempre mostro.
Por isso nem sempre aposto.
Pois nem sempre gosto.
Pois nem sempre posso.
Com isso mais me protejo.
Com isso me despejo.
Pra esquecer não vejo.
E escondo meu desejo.

De deixar de enganar.
E passar a encantar!

Beijos Dona Lia!
Te Amo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!