quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Enquanto houver Amor, haverá vida!

Que o anseio de esperar, sossegue ao te ver.
E antes de descansar, me tenha no anoitecer.
A lembrança dos dias bons, promete outros melhores.
Mas sempre que pensar no antes, abra bem os olhos.
Pois os sonhos preparam o futuro.
As atitudes são do presente.
E as lembranças de todo o sempre.
Se o fim está próxima, também se encontra o recomeço.
Quando o medo se apresenta, podemos utilizar a coragem.
O branco, rabiscado em tinta preta.
O luz que se apaga à escuridão.
O silêncio que precede o trovão.
As gotas de chuva que voam e depois correm no chão
O gosto forte da capsula de café utilizado.
O jeito de ficar acostumado,
A velocidade de sangue que foge do coração.
O receio de ouvir seu não!
Se tudo isso não ficar bom.
Me Ame!
Pois enquanto houver Amor, haverá Vida!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!