segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Infelizmente mais erros que acertos!

Não aprendemos a disputar, não temos educação esportiva, muito menos políticas públicas.
Não sei se é uma questão só, ou principalmente, dos "brasileiros" mas como são os brasileiros a maioria que me rodeia hoje, não posso dizer pelos outros.
Ouço críticas ao apoio governalmental/militar, ouço críticas a bolsa atleta ou leis de incentivos ao esporte (assim como criticam as leis que incentivam a cultura, são os mesmos...).
Mas não vejo ninguém tentando fazer diferente, de verdade, tentando unir ao menos forças para pensar diferente.
O esporte mundial é sustentado por uma tríade, educação, militar e profissional. Mas parece que são assuntos distintos ou ao menos tratados assim. Tive sorte de ter professores de educação física excelentes (e cada vez me orgulho mais deles), sorte de ter pais que incentivavam o esporte, sorte de não me limitar a um esporte apenas. Não fiquei no futebol. Tive sorte de crescer ainda na rua, em plena atividade física simplesmente porque eu queria praticar atividades físicas, além do futebol, o taco, o pega-pega, o esconde-esconde, pula-mula, mãe da rua, carrinho de rolemã, volei de rua, queimada... bicicleta. E numa época que nem tinha ciclovia pintada na rua.
Tive sorte.
E mesmo assim nada fiz com isso.
Me sinto culpado por esses descaso também.
Meu filho faz esporte apenas na escola. Male-mal joga uma bola ou arremessa umas bolas na cesta no tempo livre.
Minha filha nada faz, se restringe a educação física da escola, de professores, hoje, que tenho certa dúvida (até uns dois anos atrás confiava mais na escola).
E nada fizemos, e nada fazemos, mas esperamos podios, medalhas e o pior é que só vale se for o primeiro lugar, o ouro!
Voltando a tríade, a educação, jogos escolares, jogos universitários pouco ou nada temos. É muito distante da realidade de grandes potências. O esporte profissional é extremamente restrito, temos o futebol pagando bem na série A, temos o Volei, pagando bem e incentivando 3 ou 4 times, temos o Basquete que depende de muita gente. No esporte militar até que melhoramos, apoiando o alto rendimento, dando no mínimo estrutura para alguns, mas ainda muito incipiente. Mas porque forço a questão na tríade pois depois das olimpiadas temos Universíada, que é quase uma olimíada para estudantes universitários, multidesportiva e conceituada, depois disso temos os Jogos Mudniais Militares, também reconhecidamente um evento gigante e muito importante, que prova que não é só aqui que utilizamos o ambiente de defesa para treinar homens e mulheres no esporte. Além disso temos centenas de mundiais e copas de cada categoria esportiva, esses geralmente participam todos os atletas das outras, profissionais ou não. Bom se isso não é resposta para entender a tríade, que tal um exemplo mais simples. Onde encontramos pessoas dispostas a treinar por uma bandeira e ao mesmo tempo tenha local para isso se não as escolas e os batalhões. Onde mais consegue-se dar apoio, ao jovem que pode receber uma bolsa escolar (isso ainda é defendido ou já proibíram???) ou os terceiros sargentos, esportistas de alto rendimento bancados (mesmo que com pouco mais do que 4 salários mínimos mensais) pelas forças armadas e com isso a tranquilidade de tratamento de saúde, alimentação e até mesmo moradia além do espaço para treinar.
Mas você vê alguém falando ou fazendo algo a respeito?
Algum pai se preocupa se seu filho sabe o que é handbol, voleibol, basquetebol, se ele pratica, se sabe como funciona as principais provas do atletismo, o que é uma pipe ou china no volei, sabe o que é um pick´n´roll ou apenas um bloqueio legal no basquete? Defesa 6-0, jogar no 4-2 ou no 5-1, marcação por zona, homem a homem ou no garrafão. Porque tem água nos 3000 metros com obstaculos e porque obstaculos e não barreiras. Porque a pista de fora é maior que a de dentro? Porque a bola de handbol gruda? Ou o que são as marcas na quadra... O que é aquela agarração na luta, porque não da soco no judô, ping-pong não tem que sacar cruzado, casquinha vale? A linha desse esporte é dentro ou fora? Porque não tem revezamento de nado costas?

Vamos continuar assim... Que pena! Ou que falta de sorte???

Escrevi, me enrolei, não vou arrumar. É isso, estou feliz por acompanhar mais uma olimpíadas, triste por não chegar nem perto de participar de uma, mais triste por saber que não aprendemos nada ou quase nada tendo uma dentro do nosso país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!