quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Aos meus amigos gays, héteros, trans, bi, tri... Pra Todos!

Não existe cura pro Amor.
Nem um remédio que alivia.
Podem me fazer sentir dor.
Mas perdoo a mão que me batia.

Não tenho vergonha do que sinto.
Falo pro mundo inteiro ouvir.
Abro meu peito e alto grito.
O Amor é para sentir.

Se dois homens um casal for.
Ou uma trans e uma mulher.
Um grupo que vive em poliamor.
O de fora não mete a colher.

Não crie soluções mirabolantes.
Pro seu incômodo "tradicional"
Pois desde os gregos de antes.
Ser gay era natural.

Não crie rótulos, me tire da estante.
Não julgue, nem seja irracional.
Permita viver o desejo do instante.
Aceite o Amor universal!

Repito, sincero, não minto.
Pra todas as mentes pequenas.
Como já diria o Milton.
"Qualquer maneira de Amor vale a pena"

Danibron

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Foi. É. E será!

Foi assim.
A 4 duzias de anos.
Com mais acertos que enganos.
Que os astros conspiraram a favor!

Foi assim.
Que do nada criou-se os planos.
Que com muitos troncos ou barrancos.
Vivem uma grande história de Amor!

É assim.
Que se ensinam e que se aprendem.
Que ainda se cutucam e se divertem.
E que um ao outro se querem bem.

É assim.
Sonhadores e viajantes.
Cuidadores em todos instantes.
Com poderes de bravos mutantes.

E assim será.
Como a noite foi feita prum dia.
Se encontrar em singela harmonia.
Pai ou mãe, vó ou vô, tio ou tia.

E assim será!
Eremita social e mestranda em alegria.
Inteligência exaltada e beleza escondida.
Lia e Claudio, Claudio e Lia.

🎶🎶🎶mandei plantar, folhas de sonhos no jardim do solar🎶🎶🎶

Sussurros ao pé do ouvido.

Diante de tanto alvoroço.
Distante de tudo que tenho.
Despeje Amor em seu moço.
Desloco os lábios e lhe beijo.

De olhar-te dormindo lhe furto.
Sonhos lindos onde ainda me vejo.
E dos meus calores noturnos.
Quero ir saciar meu desejo!

De te ter ao meu lado agradeço.
Esperando você noite e dia.
A saudade que paga o preço.
Aguçando ansiedade e agonia.

Não importando se a casa é vazia.
Nem se de supetão apareço.
Eu te quero sem rima ou poesia.
E me dou a você com apreço!

São dois corpos no mesmo espaço.
Contrariando uma lei milenar.
Já não é perna, bunda ou braço.
Me devoto e o que posso é Amar!

Danibron (06.09.2017)