sábado, 22 de janeiro de 2011

Não era mais nada?

Eu não bebo para esquecer.
Nem bebo por estar triste.
Eu fico assim pra poder beber.
Pois minha vida sem você não existe.
Andar se faz necessário, não insiste.

Não ache que só você decide
E queira todos os erros resolver.
Pare de apontar seu dedo em riste.
Se esta quieto não queira mexer.
Pois assim só temos a perder.

Porque apenas nessa hora.Resolveu mudar de opinião.
Não brinque comigo agora.
Não soi ioio, não sou peão.
Brinquedo não é coração.

Me desculpe se sou direta.
E mantenho a resposta dada.
Mas não sei ser mais discreta.
Pois ainda me sinto abandonada.
E ao saber da outra.
Fico ainda mais largada.

Destruída, acabada e humilhada.
Por um bom tempo consumida.
E ainda fico muito abalada.
Quando me fala de sua vida
De como ela não era bonita.
E do quanto pra você não sou nada.


Nad Johnes (21/01/2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!