sexta-feira, 2 de março de 2012

Intempéries

O Amor não é sólido mas está sujeito a interpéries.
Seja o Humor ácido ou a crítica destruitiva.
O zéfiro que sopra seus cabelos, me lembra o tempo antigo.
Dois dias conversando, apenas agindo como amigo.
A enchente que inunda o coração traz alegria.
E depois esquenta a alma, mesmo em noite fria.
A poeira que levanta na rua, turva a vista e vai-se embora.
Deixa uma bruma densa e escura que finda em volta.
...

Inacabada...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!