sábado, 21 de abril de 2012

Guardar seu beijo e outras loucuras.

Quero guardar seu beijo.
Debaixo de meu travesseiro.
Um pouco egoísta, um pouco faceiro.
Mas guardo pra mim o seu beijo.
Em troca divido contigo meus sonhos.
Meus desejos, minhas aventuras.
Conto também minhas agruras.
Meus anseios e os desesperos.
Me abro como o mar.
Mas assim como te deixo ver.
Posso num golpe te expulsar.
Tenho medos, quem não tem.
Emoções e sentimentos não são patinetes.
São trens.
Desgovernados,
que te encontram.
Que explodem no seu colo.
São bombas de alegria.
E fortes ventos de desesperança.
A razão, a proporção e a teoria.
Se perdem na noite vazia.
No copo gelado de sicuta.
Na carne vendida por mães e putas.
No coro dos padres e bispos suados.
Em plena zona do meretrício.
Na piada mal contada sobre o patrício.
Some em meio aos testes.
Em meio as preces.
Ou numa singela contestação.
Quem rouba mais?
Policia bandida ou caridoso ladrão?
Todo mundo Ama o Robin Hood.
Mas contou-se apenas uma parte da história.
Quem tem pena do Darth Vader.
Acredita em bom senso e retórica.
Mas esquecem do assassinato de jovens padawans.
Ou da queima de índios.
Cecis, Peris ou Tupãs.
Me deixe guardar seu beijo.
Pois de tudo que preciso.
Ele é o que mais desejo.

Daniel Bronzeri Barbosa
21.04.2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!