quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Beije-me

Beije-me como se fosse o último dia.
Talvez você acerte e não se arrepederás.
Deixe-me apenas com carinhos.
Pois a partida subita virá.

Tenha em mente que o improvável acontece.
E saberás dar mais valor ao que tens.
Não peça atenção, pegue, empreste.
Não se dê por vencida.

Dispa-se e deite ao meu lado.
Liberte-se e sinta o afago.
Se você pensa o que falo.
Vê o que sinto.
Cheira meu gosto...
Então cale ao encosto.
E ouça o meu toque.
Que nessa tórrida alcova.
Não me falte a sorte.

Beijo-te como se fosse o último dia.
Que tocaremos nossos lábios.
Superiores, pequenos ou sábios!
Mesmo que em fantástica fantasia.


Daniel Bronzeri Barbosa
28.08.2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode meter a boca!